31/05/2010

124:Onde está a vuvuzela?


Boa Tarde,
sou cliente da GALP há bastantes anos e perturba-me um pouco ver constantemente o facto de serem criados grupos nas redes sociais que denigrem a imagem da empresa.
Hoje não calei a minha revolta no grupo: " A Galp que meta a vuvuzela no cú e baixe o preço da gasolina" pois a meu ver as coisas não se tratam assim, até porque o meu carro é a gasóleo.
Fui obviamente insultado por um grupo que conta com mais de 50 mil membros. A minha questão é a de saber a razão pela qual vocês na GALP não respondem a estas manifestações, se é por preguiça, por concordarem com o conteúdo das mesmas ou porque neste momento só estão preocupados em "dar o litro" pela nossa selecção?
Dia 1 de Junho o grupo combinou não colocar combustível nos vossos postos e não vos vejo minimamente preocupados com o assunto.
Veja-se a diferença de procedimento da Galp, quando comparada com a B.P. que quando foi acusada do derramamento de combustível no Golfo do México falaram e responderam às pessoas.
Farto de defender a Galp e ser insultado pelas pessoas que referi, venho pedir-lhe que me diga o que escrever naquele grupo que manda dar uma utilidade à vuvuzela tão pouco ortodoxa.
Não me importo de ser o porta voz da Galp.Se pretender marcar uma reunião para delinearmos uma estratégia de defesa, estou ao dispor.
Respondo que "No dia 1 não querem ir colocar gasolina na galp porque devem querer ficar em casa a brincar com a vuvuzela" ou posso ser mais agressivo?
Aguardo então uma resposta a este cliente fiel para que vos possa defender devidamente na rede social.
Mário Dias

Exmº Senhor Mário Dias,
Em primeiro lugar deixe-me agradecer-lhe a preocupação com a imagem da Galp.
De facto, é triste ver a ignorância de quem ataca uma empresa portuguesa que é das poucas que continuam a investir a sério no nosso país, com isso beneficiando empresas estrangeiras que são maiores do que a Galp e que cancelam investimentos prometidos nos quais tiveram até o apoio do Estado. É tão diferente do que se passa do outro lado da fronteira, onde as empresas nacionais são as preferidas. O patriotismo mede-se também por aqui…

Quanto ao Facebook, felizmente vivemos num país onde há liberdade de expressão e onde as pessoas são livres de criarem os sites e páginas que bem entenderem - e de fazerem o que mais desejarem com as vuvuzelas. Os padrões éticos seguidos pela Galp impedem-nos de descer ao mesmo nível.

Quanto à comparação com a BP, parece-me não fazer qualquer sentido. A BP foi, de facto, responsável pelo maior desastre ecológico de que há memória - e de que irá haver durante muitos anos. A Galp cumpre a sua missão com rigor e pratica os preços que é justo praticar tendo em conta a cotação dos produtos nos mercados internacionais e a necessidade de assegurar a sustentabilidade dos enormes investimentos que está a fazer, tanto em Portugal como no mundo.

Quanto à sua disponibilidade para defender a Galp nesses fóruns, agradecemos, mas como lhe disse, se o quiséssemos já o teríamos feito. Assim, se quiser responder, poderá fazê-lo em nome da liberdade de expressão, mas não em nome da Galp, pois normalmente esses tiros acabam por sair pela culatra (a intenção não era fazer trocadilho…). Espero que o compreenda.
Melhores cumprimentos,
Pedro.M.Pereira
Porta voz da Galp

23 comentários:

  1. Grande resposta: "onde as pessoas são livres de criarem os sites e páginas que bem entenderem - e de fazerem o que mais desejarem com as vuvuzelas."
    "esses tiros acabam por sair pela culatra (a intenção não era fazer trocadilho…)"

    Sim senhor!

    ResponderEliminar
  2. Andas a virar a casaca?? Ai Ai Ai

    ResponderEliminar
  3. Admiro o teu blog e aquilo a que tens dado seguimento.

    Força e parabéns

    ResponderEliminar
  4. Joãozinho,

    Sempre a bombar.
    Está está top.
    :-)

    ResponderEliminar
  5. Esta resposta foi tão, mas tão bem dada, que só tenho que dar os Parabéns ao dito João pela sua enorme capacidade de chá. Fantástico! Não é todos os dias. Educado, assertivo e profissional! Touché!

    ResponderEliminar
  6. Looool Que resposta tão à altura!! Patriotismo e liberdade de expressão acima de tudo!! :D Só tenho pena que não tenham aceite colocar o Mário Dias como porta voz da Galp... aí é que ía ter mesmo piada loool :p Muito bom, João!

    ResponderEliminar
  7. Sim, foram cancelados esses investimentos aqui em Sines mas ainda bem! Precisamos é que reine uma empresa do nosso país em Portugal e não uma espanhola!

    Enfim, gosto de ver como lutas.

    ResponderEliminar
  8. Muito bom mesmo caro Mário!
    A resposta é que não foi a mais ajustada ao blogue, merecia outra bem melhor, mas não estão ao teu nivel!
    Acho, no entanto, que poderias ter perguntado qual o procedimento a adoptar pela GALP para aqueles casos em que a vuvuzela já há muito ultrapassou a anilha de muitos portugueses!

    ResponderEliminar
  9. Lol mas uma resopsta teoricamente institucional a descascar noutras empresas concorrentes é espectacular. Para ser perfeita a resposta do "Porta voz da Galp" devia terminar com a sugestão de apenas serem assaltadas as BP Repsois e afins.

    ResponderEliminar
  10. Ahahahahaha, grande resposta, apesar de não gostar da galp e afins :)

    ResponderEliminar
  11. vuuuuuu vuuuuuuuuuuu vuuuuuuvuzelaaaaaaaaaaaa

    :P

    ResponderEliminar
  12. Gostei do teu mail mas confesso que desta vez fiquei surpreendida com a resposta, bastante cordial! Mas acho bem que defendas a Galp, eu de facto não pûs combustivel na Galp hoje.... mas foi só porque não pude.... não quero cá grupinhos!!!! :D

    ResponderEliminar
  13. Bem que resposta tão bem elaborada...por algum motivo é porta voz...sabe o que diz e o tom que usar...muito bem respondido sim senhor!
    Beijo*

    ResponderEliminar
  14. Acho um piadão a esses grupinhos que se juntam numa de não abastecer na Galp num determinado dia... acham mm q tem impacto??? lolololol Quem é que se dá ao trabalho de "organizar" uma coisa dessas?????
    Quanto ao que os portugueses fazem com as vuvuzelas... se ficarem contentes a Galp também ficará certamente, afinal é uma empresa de serviço público! :P

    ResponderEliminar
  15. É óbvio que abastecer ou não, num determinado dia, neste ou naquele operador é tão indiferente como inútil. No entanto o objectivo de mais uma vez levantar vozes de indignação é conseguido. A Galp, tal como tantas outras, EDP, PT, etc, etc... realmente são muito patrióticas. Esse patriotismo é demonstrado na forma como usurpam vergonhosamente os seus clientes tirando dividendos faraónicos das relações praticamente monopolísticas através da exploração desrespeitosa do utente/cliente, que as mesmas se propõem servir, sendo que se trata de empresas de serviço publico. Um pequeno exemplo disso é a velocidade em que se reflecte as variações do preço do crude na cotação dos combustíveis ao cliente final.

    Patriotismo? Tenham dó, meus senhores "Galp"!...
    Ganham na captação, na transformação, na distribuição e na venda. O problema não se chama exclusiva e exactamente Galp mas sim politica de combustíveis em Portugal. A relação que existe entre o fornecedor e o consumidor é de usurpação e desrespeito.
    Entendo que os recursos empregues em pontos, vales, vuvuzelas, catálogos, patrocínios de eventos que mais não passam de tentativas de lavagem de uma imagem de quem tem consciência de que tem culpas no abuso da relação desigual com os clientes, ainda por cima numa empresa de serviço publico, deveriam ser canalizados para proporcionarem um custo final dos seus produtos ao cliente final, mais justo, e assim sim, os portugueses prefeririam com toda a certeza adquirirem os produtos da, então justamente apelidada de patriótica, GALP.

    Mário

    ResponderEliminar
  16. Grande post Mário!

    até porque o som da coisa parece ter origem no dito ;)

    ResponderEliminar
  17. A resposta está bem dada mas como sempre falsa. Até se fazem de coitadinhos ... desculpem mas isto a mim faz-me saltar a tampa!!
    Eu até estou no grupo mais por gozo que outra coisa. Nunca abasteço nem em galp's nem em BP's e companhias (a não ser que esteja no casco e a mais próxima seja uma delas =P). Nem me agrada ter de abastecer nos continentes e jumbos, porque todas estas grandes empresas (portuguesas ou não) é que destroem o mercado português e as pequenas empresas portuguesas.
    Querem ser patriotras? Acho muito bem. Então comprem produtos feitos em portugal por empresas pequenas e que estão a manter a nossa ecónomia.
    Só mais uma coisinha, muitos do que apoiam a Galp ou PT ou EDP e afins porque são portugesas e tal, depois compram cenas chinesas ou indonésias, por isso sejam verdadeiros e realistas.
    Estes já mamam muito, distribuam o dinheiro que assim é que o país consegue crescer.
    mai nada =)

    ResponderEliminar
  18. Esqueci-me de dizer que a tua carta para a galp está demais =) Eles tem que levar com cada um...

    ResponderEliminar
  19. Primeiro - Obrigado pelo blog. Obrigado pela sagacidade e originalidade. Obrigado por expor e levantar questões, brincando.
    Segundo - É ao ler certos comentários que encontro a razão pela qual as coisas não caminham para uma sociedade justa e equilibrada. Os Portugueses são os pistoleiros que dão o tiro no próprio pé, enquanto tentam tirar a arma para disparar ao inimigo. A internet deu voz a quem não tinha cabeça.
    desculpa a invasão e o desabafo.

    ResponderEliminar
  20. Muito bom mesmo...Agora cá vuvuzelas...

    Abraços imperfeitos

    ResponderEliminar
  21. Good blog!!! Congratulations!!

    http://balapertotarreu.blogspot.com

    Frank, Barcelona

    5 iunie 2010, 11:33

    ResponderEliminar
  22. Olha, só pra ti, já viste? ;)

    http://andorinhaquevoa.blogspot.com/2010/06/mario-dias-esta-e-pra-ti-bisnagada-em.html

    Bisnagada em Lisboa! Faz favor de participar!!!

    ResponderEliminar
  23. Talvez ainda não tenha sido incomodado com as cujas, não é) Pois digo-lhe que é realmente incómodo tentar estudar e ouvir o barulho dessas coisas. Devia primeiro meter-se na pele das outras pessoas, antes de criticar atitudes legítimas só por não lhe afectarem directamente.

    ResponderEliminar