21/03/2010

116:LEI DA ROLHA


Oi, boa tarde.Sou Mário Dias, sou Brasileiro e sou proprietário de várias quintas no Douro.Sou ainda produtor vinicola e responsável pela colocação no mercado de um novo vinho que em breve estará pronto a ser comercializado.Contacto com Vexas porque me foram referenciados por uns colegas Portugueses como "prestadores de um serviço da maior qualidade e preços acessíveis no que concerne a rolhas".
Como não tenho possibilidade de entrar telefonicamente em contacto com Vexas queria perguntar o preço da rolha.Ao procurar na internet informações sobre o assunto, deparei-me com a lei da rolha que pelo que percebi foi aprovada recentemente no vosso país. Gostava também de perguntar em que se traduz essa lei para não fazer asneiras.
Muito obrigado e aguardo resposta breve.
Mário Dias

Estimado Mário Dias.
Agradeço o seu email e interesse pelos nossos produtos.
Somos uma empresa com um vasta experiência na produção de rolhas, de granulados e aglomerados de cortiça.Não é por acaso que somos uma das firmas com mais prestigio em Portugal, sendo frequentemente o nosso nome associado aos melhores vinhos.
A verdade é que já contamos com mais de 60 anos de história.
No que concerne à "lei da rolha" não se preocupe pois isso não é lei nenhuma nem se aplica a nós.Foi uma lei que os militantes do PSD aprovaram que impõe o silêncio até à data das eleições.
O melhor seria contactarmos telefonicamente para acertar pormenores. Se nos fornecesse um número que pudéssemos utilizar seria o ideal.
Melhores cumprimentos,
Alberto Luís

Boa tarde,
agradeço desde já a vossa simpatia e o belíssimo histórico que me apresentou:
Tantos anos a produzir rolhas, granizados e aglomerados de cortiça é de facto obra.
Engraçado,aqui no Brasil, na zona onde moro, os granizados são servidos em copo e não engarrafados e "enrolhados" como o fazem (e que delicia que são) mas ao abarcar todo o processo (da produção do suco à comercialização) certamente os vossos lucros são bastantes maiores.
Sr. Alberto neste momento era importante para mim saber preços para saber se me compensa a deslocação para negociar. São rolhas normais o que eu pretendo sem grandes especificidades.
Diz-me que a lei da rolha não é lei nenhuma e pelo que diz nem tem nada a ver com a vossa rolha.
Peço desculpa por achar estranho mas não consigo deixar de o questionar:
Está me a dizer que algo a que chamam "lei da rolha" não é lei nem mete suas rolhas?
Sr. Alberto, não me leve a mal a questão mas vocês estão ilegais?
Então é aprovada essa lei por um partido e a sua empresa, de dimensão considerável na produção de rolhas, não é contemplada pela lei?
Esse silêncio, que os senhores que militam com as rolhas deverão respeitar até ao dia que me disse, significa que não podem celebrar negócios até à data das eleições?
Sinto muito mas eu não poderei esperar tanto tempo.
Saudações,
Mário Dias

Estimado Mário Dias
Há aqui um grande equivoco.
A lei a que se refere é apenas uma expressão utilizada em Portugal que nada tem a ver com rolhas e que não interfere nos nossos negócios.
É lei da rolha como pode ser lei da fita adesiva ou lei da tampa.
Compreende?
Aguardo então o seu contacto telefónico.
Cumprimentos,
Alberto Luís.

Claro que compreendo Sr. Alberto e agradeço o seu esclarecimento.
Rolhas, fita adesiva e tampas passarei a adquirir aqui no Brasil onde as pessoas podem falar sem estar a cometer ilegalidades.
Pedia que não entrasse mais em contacto comigo pois não quero ser acusado de cúmplice do que quer que seja.
Felicidades com os vossos "negócios da rolha".
Mário Dias

11 comentários:

  1. Boa, Mário! O "cara" pegou o portuga pela rolha!
    É melhor deixar as garrafas destapadas!

    ResponderEliminar
  2. epá adorei.
    é por estas e por outras que venho aqui :)

    beijoca*

    ResponderEliminar
  3. O Mário Dias fez muito bem em cortar a conversa! Ilegalidades é que nem pensar :)

    ResponderEliminar
  4. Nunca adiras à lei da rolha se faz favor... Continua assim destapadinho que acredita que não perdes o gás :)

    ResponderEliminar
  5. Subscrevo o comentário da Lia.
    Nada te escapa, nem mesmo a rolha!!!
    "Está me a dizer que algo a que chamam "lei da rolha" não é lei nem mete suas rolhas?
    Sr. Alberto, não me leve a mal a questão mas vocês estão ilegais?
    Então é aprovada essa lei por um partido e a sua empresa, de dimensão considerável na produção de rolhas, não é contemplada pela lei?"LOOOOLL, olha as influencias do JC sobre o MAD, olha ele a armar-se em jurista e que percebe de leis....!
    "Pedia que não entrasse mais em contacto comigo pois não quero ser acusado de cúmplice do que quer que seja." (que grande lata!!).
    Já agora,se receberes alguma resposta avisa aqui a malta.Acho que assustaste os "tapa-buracos".

    ResponderEliminar
  6. Já vi que não deixa cair nenhuma! Brincamos com isto mas esta "lei da rolha" é um assunto bem sério, até me custa a acreditar que tivesse acontecido!

    ResponderEliminar
  7. Tive de comentar isto...
    Imagino o que o homem pensou da ligação da lei da rolha à produção de rolhas...

    O ano passado tive de fazer um trabalho sobre produtores de cortiça e fartámo-nos de mandar emails às empresas e quase ninguém se dignou a responder.

    Fico satisfeita de saber que aqui funciona assim...lol

    Rio-me muito a ler o blog...

    ResponderEliminar
  8. Looool!
    O que eu me ri com este post;)
    Achei um piadão aos "vossos negócios da rolha". Mas que brasileiro cauteloso este, que não faz negócio com empresas sinistras que não respeitam aquilo que é aprovado por um partido político;)

    ResponderEliminar
  9. muito bom!!!!!!!!!!!11
    cara! voçe não existe!!!!
    amei

    ResponderEliminar