26/06/2008

19:CONSULTA DE ORIENTAÇÃO VOCACIONAL por jPinto


Exma. Sra. Dra. Isabel Neto:
Chamo-me Mário Dias, sou professor e sou director de turma do 9.º ano de uma conhecida escola secundária do grande Porto (oportunamente terei todo o prazer em dizer-lhe qual, se se prontificar a me ajudar).
Paralelamente com esta minha actividade, sou pai de gémeos, o Jeremias Dias e a Felícia Dias. No entanto e para grande desgosto meus, são gémeos falsos, pelo que eu até prefiro ocultar às pessoas que eles têm este laço parental de tanta afinidade e digo apenas que são irmãos.
Quer em casa, quer no trabalho o meu grande problema traduz-se na falta de autoridade, vontade própria e iniciativa, o que diariamente me causa bastantes problemas.
Quis o triste destino que o Jeremias e a Felícia tivessem traços da minha personalidade e não há maneira de decidirem qual a área pela qual vão optar no que concerne ao seu percurso pedagógico.
Eu já lhes pedi para virem comigo a uma consulta com Vexa mas eles dizem que não querem, e não posso ser eu a dizer para eles irem (não tenho esse direito), pelo que não tenho outra solução a não ser pedir-lhe um enorme favor…
Depois de muito pensar, tive esta ideia:
Domingo vou com os gémeos ao cinema, a Sra. Dra. está também lá presente, senta-se à nossa beira e como quem não quer a coisa começa a fazer-lhes as perguntas que achar convenientes.
Eles são uns amores pelo que não tenho dúvidas que lhe vão responder e nem se vão aperceber que se trata de uma consulta de psiquiatria.
A Sra. Dra. escolhe o filme, a não ser que eles queiram ir ver algo especial, porque ai eu não lhes vou poder dizer que não e teremos de ir todos ver o filme que eles escolherem mas eu vou sondá-los para saber se está algo no cinema que eles queiram ir ver e comunico-lhe.
A Dra. diga-me por favor o cinema que prefere e hora da sessão.
No próximo e-mail mando-lhe as nossas fotografias.
Claro que serei eu a pagar o bilhete à Sra. Dra. (faço questão, a não ser que não me permita que o faça), de qualquer modo se desejar pipocas só lhas pago depois (se não se importar) porque é suposto que a gente não se conheça.
Posteriormente deverei solicitar os serviços de Vexa para a minha turma, já que tenho lá uns casos problemáticos que gostaria de ver resolvidos. Mas tudo a seu tempo.
Aguardo resposta com a brevidade que lhe for possível, para saber o filme, cinema e horário que mais lhe convém.
Com os meus cumprimentos
Mário Dias
P.S. Se me pudesse desde já dizer o preço desta consulta (com a dedução do bilhete e eventuais pipocas) agradecia, pois já sei que se na hora me disser o preço e eu achar caro, vou pagar na mesma por não ter coragem de o dizer.

Sr. Professor Mário Dias,
Li a sua mensagem com toda a atenção que ela me mereceu.
Julgo ter compreendido a sua preocupação, dificuldade e objectivos e creio poder ajudá-lo.
Para isso, parece-me, no entanto, indispensável agendarmos uma primeira consulta (à qual viria sozinho) que aproveitaríamos para reflectir juntos acerca do(s) problema(s) que expõe e das possíveis soluções para o(s) mesmo(s).
Se estiver na disposição de comparecer à consulta que lhe proponho (as consultas no Serviço de Consulta Psicológica de Orientação Vocacional têm um custo de 30
euros) agradeço que me informe por e-mail da sua disponibilidade de modo a que a
mesma possa ser agendada de acordo com a sua conveniência.
Para além disso, apenas será necessário efectuar uma inscrição prévia no referido Serviço o que pode fazer, em seu próprio nome, através do nosso sistema de inscrição on-line.
Terei muito gosto em prestar-lhe o apoio de que necessita pelo que ficarei na expectativa da sua próxima mensagem.
Com os meus cumprimentos,
IN

Exma. Dra. IN.
Antes de mais agradeço a prontidão com que me respondeu. Se a Sra. Dr., diz para marcar consulta eu marco mas o que me aflige neste momento não sou eu mas sim o futuro profissional do Jeremias e da Felícia, pelo que não vejo a vantagem de me deslocar ai, se bem que o regresso não me custará tanto a fazer visto que venho mais leve 30 euros.
Se a Sra. Dra. não gosta de cinema, podemos combinar um teatro ou até mesmo um café, o único que temos de ter em atenção é que não posso levar os gémeos para uma discoteca por exemplo pois eles não têm idade para essas coisas.
Claro que o barulho também não ajudaria a que a Sra. Dra. descobrisse a vocação deles...
Se calhar a Dra. prefere um jantar...eu posso estar com os meninos a jantar num restaurante e a Dra. aparece de repente como se fosse uma velha amiga minha (velha no sentido de antigo conhecimento meu, obviamente) e ai começa a perguntar-lhes o que entender adequado.
Só queria pedir à Dra. duas coisas:
A primeira é que se eventualmente conhecer um dia a minha esposa, não comente que jantamos juntos (penso que por motivos de sigilo profissional também nunca o faria) e a segunda coisa que lhe pedia é que orientasse os meus filhos para o mesmo curso...Sabe...é que assim dá-me muito mais jeito pois a gasolina está muito cara e não me vai dar muito jeito no futuro andar a levar os pirralhos a duas faculdades diferentes (mas claro que se eles quiserem que os leve, eu levo).
Aguardo então informações sobre o tipo de comida que a Dra. gosta para marcar restaurante e que me diga dia e horas que lhe dá jeito (claro que até aos 30 euros, tudo que consumir sou eu que pago).
Anseio pela sua rápida resposta, para tratar das coisas.
Gostei imenso da sua assinatura, infelizmente não posso assinar com as minhas iniciais porque poderiam pensar que se trataria do Massimo Dutti (MD), pelo que penso ser melhor não o fazer...
Cumprimentos, Mário Dias

Prof. Mário,
Reitero tudo o que disse na mensagem anterior.
É uma posição que não irei rever em circunstância alguma.
O Sr. decidirá o que fazer.
Cumprimentos,
IN

Dra. IN,
estou estupefacto com a intransigência de Vexa, o que me leva a pensar que a pessoa simpática e IN que respondeu ao meu primeiro e-mail, não é a pessoa, bastante OUT que me respondeu ao segundo.
Nunca pensei, "ouvir" uma psicóloga a dizer que não reverá em circunstância alguma determinada posição pois sempre fui ensinado pela santa da minha mãe, Agustina Dias, que devemos sempre rever as nossas posições principalmente quando nos apercebemos que a razão não está do nosso lado.
Ninguém é dono da razão e se eu não tenho posses para me deslocar ao seu consultório, não o farei. Prefiro que os meus filhos nunca tenham emprego, deixem de estudar e vivam na miséria a que eu tenha de ir sozinho ter com Vexa para uma consulta inútil e tão dispendiosa.
Queria por isso pedir à Sra. Dra., se é possível em vez de ir eu à consulta, ir o Rodolfo que é empregado lá na escola onde dou aulas.
Se eu ganho mal, ele ganha menos, no entanto ele tem um atraso quase imperceptível e por isso costuma fazer sempre aquilo que eu mando...
Acho que o convenço a ir ter ao consultório de Vexa para uma consulta.
Até lhe poderá levar mais uns euros que ele não repara.
Quando pode receber o Rodolfo, Dra.?
Depois de o receber, onde pretende encontrar se comigo e com os meus filhos para analisar a vocação deles?
Cumprimentos, Mário Dias

BOM DIA.
CONTINUO SEM TER OUTRA RESPOSTA PARA LHE DAR. PARA ALÉM DISSO, AGRADEÇO QUE NÃO TENDO INTERESSE NO QUE LHE PROPUS NÃO ME VOLTE A CONTACTAR SOBRETUDO SE O OBJECTIVO FOR POR EM CAUSA A MINHA FORMA DE ACTUAÇÃO.
CUMPRIMENTOS,
IN

2 comentários:

  1. Sr. Dr. Preciso de ajuda. Com efeito, de ha uns tempos para cá tenho tido surtos de inteligência incontrolavel, não sei mais o que fazer. Ja pensei em me candidatar á Magistratura mas isso seria bater no fundo, por outro lado o MP tambem seria uma escapatória, porem está la a Drª Maria José Morgado, com toda a certeza entraria-mos em violência verbal e como o Sr. Dr. sabe, eu não gosto de Lampiões. Pensei tambem em seguir a carreira de Advogado, mas ainda não tive a confirmação do abandono do Dr. Marinho Pinto, essa especie rara de indole Kamikaze!!! Por favor ajude-me. Abraço

    ResponderEliminar
  2. Espectacular!! Genial!! Ninguém escreve assim, com um humor tão extremamente afiado e brilhante! WOW!

    ResponderEliminar